Este museu subaquático será no Lago Titicaca

Los Misterios Ocultos del Lago Titicaca (Junho 2019).

Anonim

Um museu arqueológico parcialmente submerso está sendo construído no místico Lago Titicaca. A instituição boliviana, ainda a ser nomeada, está programada para incluir duas seções principais: uma nas margens do lago e outra submersa sob as ondas.

Pesquisadores descobriram artefatos no fundo do Lago Titicaca nas últimas décadas. Suas descobertas contribuem para a teoria de que uma enorme civilização pode ter prosperado na atual linha d'água. Alguns chegaram a sugerir que uma "cidade perdida da Atlântida" poderia estar sob o lago gelado.

Titicaca é um ponto focal do passado histórico da região. Atravessando a fronteira entre a Bolívia e o Peru, é o lago navegável mais alto do mundo. A antiga cidade de Tiwanaku, que fica a uma curta distância, é considerada a casa da mais antiga e resiliente civilização do continente. Dentro do próprio lago está a Isla del Sol, um cartão postal perfeito, um local inca que acredita-se ser o berço do sol.

A descoberta mais recente no fundo do lago foi a maior. Em 2017, uma equipe de pesquisadores belgas descobriu um enorme volume - cerca de 10 mil itens - sob as águas turvas. Notavelmente, os artefatos originam-se em um prazo extremamente longo: os primeiros são de antes de 300 dC (da era pré-Tiwanaku), enquanto os mais recentes parecem ser da era Inca no final do século XVI.

O novo museu mostrará essas relíquias regionais e, talvez, de forma subaquática, para exibir as origens aquosas da descoberta. Além de permitir que os visitantes visualizem as profundezas do passado, ele também servirá como um centro aquático para pesquisas históricas.

O museu, que receberá US $ 2 milhões de financiamento suplementar da UNESCO, destina-se a fornecer renda muito necessária para a região. Após a conclusão, o projeto de turismo comunitário de US $ 10 milhões será operado por 13 comunidades locais em torno da cidade de San Pedro de Tiquina.

Durante anos, os moradores locais de Tiquina lamentaram perder a substancial renda turística que chega às proximidades de Copacabana e Isla del Sol. Como resultado, a comunidade resistiu à pressão do governo para construir uma ponte tão necessária sobre as águas traiçoeiras do Estreito de Taquina. Atualmente, os veículos devem embarcar em balsas clandestinas para navegar no canal notoriamente perigoso.

Além disso, em 16 de julho deste ano, que coincide com o Dia do Departamento de La Paz, será inaugurado um aeroporto de 40 milhões de libras esterlinas (5, 8 milhões de dólares) para atrair mais turistas para a região.

Talvez esses projetos tragam nova motivação para construir a tão esperada ponte Taquina e impulsionar o turismo em torno da porção boliviana do grande lago.