Países fora dos EUA que mudaram de tecnologia em 2017

20 Coisas Absurdas Que Eram Absolutamente Normais no Passado (Fevereiro 2019).

Anonim

Para mais informações sobre os acontecimentos culturais do ano, confira mais algumas das nossas rondas em revisão de 2017.

Um grande número de avanços tecnológicos em 2017 tem suas raízes nos Estados Unidos e no Vale do Silício em particular. Carros autônomos, computação quântica e terapia genética foram desenvolvidos na América. Mas outros países ao redor do mundo fizeram contribuições significativas para o cenário tecnológico neste ano. Aqui estão cinco exemplos fantásticos.

Suíça

Paralisia reversa

Um dos maiores avanços tecnológicos deste ano tem sido em cientistas tentativas de reverter os efeitos da paralisia através de implantes cerebrais. A tecnologia foi listada pelo MIT como um dos 10 desenvolvimentos tecnológicos mais importantes de 2017, e é fácil perceber porquê. Alguns dos trabalhos mais significativos neste campo estão saindo da École Polytechnique Fédérale de Lausanne. Os cientistas implantaram com sucesso um dispositivo de registro no crânio de um macaco, incapaz de mover uma perna, e colocaram eletrodos ao redor da medula espinhal do animal. Agora, quando o macaco pensa em mover a perna, a perna se move. O MIT espera que a tecnologia produza seu impacto mais significativo daqui a 10–15 anos, mas o trabalho realizado neste ano percorreu um longo caminho para ajudar pessoas paralisadas a caminhar novamente no futuro.

Islândia

Estação de energia negativa de carbono

A mudança climática é uma das maiores ameaças à nossa existência, por isso é reconfortante saber que muito trabalho está sendo feito para reduzir as emissões e até mesmo reverter os danos causados. Uma usina de energia geotérmica na Islândia, inaugurada este ano, utiliza um conceito chamado captura direta de ar. Esse conceito envolve sugar o dióxido de carbono do ar e produzir energia. A usina na Islândia agora é negativa em termos de emissões, o que significa que remove mais dióxido de carbono do que emite e produz energia ao mesmo tempo. O projeto está apenas no estágio piloto e terá que se tornar mais barato para utilizar se for usado em larga escala, mas oferece esperança em um mundo sob ataque pelo aquecimento global.

China

Pagamentos faciais

O novo iPhone trouxe o reconhecimento facial para nossas vidas em 2017, e o pensamento de desbloquear seu telefone apenas olhando para ele excitou e horrorizou o mundo em igual medida. Na China, a tecnologia foi levada um passo adiante. Outra das inovações a ser apresentada na lista de 2017 do MIT, a tecnologia de reconhecimento facial está melhorando rapidamente na China e pode ser usada para fazer pagamentos, acessar prédios e muito mais. O Alipay, um equivalente Paypal com 120 milhões de usuários, e o aplicativo mais popular de passeio itinerante no país, Didi, estão oferecendo aos usuários a chance de agir apenas com seus rostos.

Bélgica

Gerando energia a partir da poluição

A Bélgica também está avançando na tecnologia de combate às mudanças climáticas. Pesquisadores da Universidade de Antuérpia e KU Leuven desenvolveram um processo que purifica o ar e gera energia ao mesmo tempo, e só precisa ser exposto à luz para funcionar. “Usamos um pequeno dispositivo com duas salas separadas por uma membrana”, explica o professor Sammy Verbruggen (UAntwerp / KU Leuven) ao site da KU Leuven. “O ar é purificado de um lado, enquanto no outro lado o hidrogênio é produzido a partir de uma parte dos produtos de degradação. Esse gás hidrogênio pode ser armazenado e usado posteriormente como combustível, como já é feito em alguns ônibus a hidrogênio, por exemplo ”.

Canadá

Fusão nuclear

A fusão nuclear tem sido uma esperança e uma meta para a humanidade por muitos anos. O conceito envolve o uso do mesmo processo que ocorre no sol e produz quantidades abundantes de energia limpa aqui na Terra. Uma startup em Vancouver está tentando trazer à tona a ideia e, embora ainda não tenha sido resolvida, apenas trabalhar na possibilidade da fusão nuclear muda a forma como pensamos sobre tecnologia e energia.