16 razões pelas quais Argentina pode ser o país mais louco do mundo

Veja por que a AUSTRÁLIA é O PAÍS MAIS PERIGOSO DO MUNDO !! (Junho 2019).

Anonim

A Argentina é uma terra de excentricidades e contradições. Enquanto muitos podem se esforçar para até mesmo colocar este país sul-americano em um mapa, pode ser apenas um dos lugares mais loucos do mundo. Aqui está o porquê.

Loucura econômica

Compreender a economia argentina evita até mesmo os homens mais talentosos. O escorregadio fulano que é a economia da Argentina é tão volátil que a maioria das pessoas perdeu praticamente todas as suas economias durante a crise econômica de 2001. Tão indigno de confiança é o sistema bancário argentino que o país ainda opera principalmente com base apenas em dinheiro, e até recentemente a maior conta era uma nota de 100 pesos, que agora se converte em aproximadamente US $ 5, 8US. Louco mesmo.

Protestos diários

Protestos são um assunto claro na Argentina. Às vezes essas grandes marchas são planejadas, com milhares de pessoas descendo sobre a capital para se fazerem ouvir, mas muitas vezes nem se sabe o que o grupo aflito está protestando. O fechamento de estradas no centro da cidade de Buenos Aires é comum durante os protestos, o que pode afetar significativamente o dia a dia dos cidadãos e dos passageiros.

Inflação louca

A inflação é de cerca de 40% ao ano, uma figura impressionante que afeta tudo, desde o aluguel até o preço do leite. Enraizada na sociedade argentina é a inflação que se você tem um contrato de trabalho (o que muitos não fazem), afirma-se que seu salário deve aumentar a cada seis meses para se alinhar com a inflação. No entanto, isso raramente compensa ao máximo, deixando os argentinos lutando para acompanhar os crescentes custos de vida.

Drama nas ruas

As ruas da Argentina são o melhor lugar para ver o que é descrito como o quilumbo argentino - um termo amplo que define o caos e a loucura que caracterizam a cultura argentina. Acidentes de trânsito, pessoas gritando umas com as outras nas ruas e nos ônibus, tudo isso faz parte do cotidiano da Argentina.

Crise de identidade

Embora a Argentina esteja firmemente localizada na América Latina, é realmente apenas essa geração que se identifica como latino-americana. A Argentina moderna é fundada principalmente em imigrantes europeus, que foram convidados a povoar o país no século XIX, e muitas gerações mais antigas se alinham mais com a Europa do que com a América do Sul, o que fez com que os argentinos ganhassem uma reputação desagradável no resto do continente..

Deslocando fronteiras

A Argentina é uma enorme massa de terra com fronteiras ao longo do Chile, Bolívia, Paraguai, Brasil e Uruguai. Por anos, a fronteira chilena tem sido um ponto de discórdia, com o Chile reivindicando praticamente toda a costa do Pacífico. A guerra pelas Ilhas Malvinas / Falklands em 1982 custou milhares de vidas, cada lado alegando que o arquipélago do sul lhes pertencia. As disputas territoriais na fronteira nordeste resultaram na Guerra da Tríplice Aliança, que custou ao Paraguai grande número de sua população.

Fora do tempo

A Argentina opera em um horário diferente do resto do mundo - literalmente. Não há economia de horário de verão na Argentina devido a uma estratégia para aumentar o turismo local na costa argentina implementada pelo último governo. Estar no “horário da Argentina” também significa que o dia começa e termina mais tarde, e que é mais do que certo estar atrasado, todo mundo faz isso!

Loucura de carne

Em um momento em que o resto do mundo está tentando ser mais consciente do meio ambiente e comer menos carne, a Argentina continua a resistir à tendência e cavar seus pés em sua cultura de carne. Cada argentino normalmente come mais de 140 quilos de carne bovina por ano, cerca de 50% a mais do que o americano médio.

Humanos histéricos

A Argentina tem uma frase muito específica para descrever o comportamento romântico de seu povo - histerico / a. Isso encapsula a ideia de que o romance argentino é construído em torno de jogos de teatro e mente, que podem mantê-lo na ponta dos pés ou frustrá-lo.

Libertação e ilegalidade

A lei na Argentina poderia ser melhor descrita como “melhor prática” e não tem o mesmo peso que em outros países. A polícia é muitas vezes corrupta e vai pedir suborno em troca de fechar os olhos para pequenos crimes. O outro lado disso é uma incrível sensação de liberdade na medida em que você pode efetivamente fazer o que quiser, um luxo em uma sociedade global que é mais monitorada do que nunca.

Ressacas históricas

A Argentina tem uma história turbulenta - sucessivas ditaduras, uma campanha assassina contra dissidentes políticos e intelectuais, e a mancha sangrenta de abrigar nazistas após a Segunda Guerra Mundial, para citar apenas alguns. Os efeitos residuais desses eventos históricos ainda são evidentes na sociedade atual, onde os protestos contra qualquer coisa que possa ser vista como repressiva são comuns.

Fanáticos da família

Em um mundo onde a unidade familiar está sendo cada vez mais diminuída a cada ano, na Argentina ainda reina suprema. Os laços familiares argentinos são profundos, e é comum os argentinos se dedicarem todos os domingos como tempo de família.

Batalha dos sexos

A maioria dos argentinos tradicionais tem um grupo de amigos que tem estado com eles desde o ensino médio. E mais frequentemente do que não, este grupo é do mesmo sexo. Os caras têm los chicos, enquanto as meninas têm las chicas. Grupos de amigos mistos não são comuns na Argentina, e assim como os domingos são reservados para as famílias, uma noite por semana, pelo menos, será designada como hora do amigo.

Hooligans Hellraising

O futebol é como a religião na Argentina, trazendo sua própria multidão de devotos fanáticos. Esses torcedores são conhecidos como barra brava, ou hooligans do futebol, e são considerados no mesmo nível dos criminosos organizados ou da máfia. Ganham dinheiro com a revenda de ingressos, a venda de mercadorias e alimentos / bebidas em partidas de futebol e são famosos por suas táticas de intimidação, muitas vezes realizadas com violência.

Cantando nas ruas

Uma peculiaridade argentina é que as pessoas - apesar da economia maluca, da história angustiante e da inflação enlouquecedora - ainda são muito felizes. Tão feliz, na verdade, que eles não pensam em cantar em voz alta em público. Também pode ser tomado como um sinal de quão confortáveis ​​são muitos argentinos em sua própria pele que não têm vergonha de cantar fora do chuveiro.

Nostalgia intemporal

A Argentina muitas vezes sente que ainda não alcançou a era moderna, mas isso é uma coisa de beleza em oposição a algo não-progressivo. O passado e seus artefatos são valorizados na Argentina - ninguém lança fora nada - o que significa que é um paraíso para colecionadores de antiguidades, com nostalgia à espreita em todos os cantos.